A gestão do espaço disponível na planta de uma padaria sempre merece especial atenção. Isso porque são muitos os equipamentos que compõem uma cozinha industrial. Por isso, na hora de instalar um equipamento a gás para padarias, é importante procurar por ajuda profissional. No caso da instalação do gás para padarias, é preciso ficar atento ao local que será destinado ao armazenamento dos tanques de gás GLP.

Cabe à fornecedora de gás GLP analisar a viabilidade técnica do local e propor um planejamento de instalação específico para o terreno do contratante. Esse projeto é  assinado por um técnico responsável, que deverá seguir todas as normas de segurança, incluindo os testes dos equipamentos.

Normas técnicas e escolha do local da instalação

Mesmo sendo responsabilidade da companhia de gás fazer o projeto de instalação específico para a padaria, também é interessante que o dono do estabelecimento saiba quais são as normas técnicas exigidas. As principais determinações são do Corpo de Bombeiros Estadual e da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Todas estão disponíveis no site dessas instituições, mas abaixo temos as mais importantes.

A primeira delas é que o projeto de instalação da central de gás para padarias deve ser elaborado por um profissional habilitado e registrado no órgão de classe, com emissão de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART).

Além disso, a área destinada para os tanques deve constar na planta baixa do projeto, de tal maneira que os recipientes de gás GLP fiquem situados no exterior do estabelecimento, em locais com boa ventilação. Assim, é proibida a instalação de tanques de gás GLP em locais fechados, como porões, garagens subterrâneas, entre outros.

LEIA MAIS
Equipamentos para confeitaria: veja as opções a gás!
Como financiar equipamentos para padaria?
Conheça os melhores fornos a gás para padarias

Como é a instalação do gás para padarias?

Independentemente da planta da padaria, a companhia de gás deve fornecer todas as adequações previstas para uma instalação de gás segura. Por isso, todo o planejamento dos caminhos da tubulação até os fornos, assim como para qualquer outro equipamento abastecido a gás GLP, será feito pelos técnicos da companhia.

Em alguns casos, dependendo da planta e do local em que o proprietário prefere que seja feita a instalação, pode haver a necessidade de cortes no piso, vedação de janelas e fechamento de ralos. São adequações feitas pela companhia de gás por conta das normas de segurança.

As redes de distribuição do gás para padarias são construídas com tubos multicamadas, compostos por polietileno e alumínio, além de tubos de cobre e aço. E, ao fim da instalação, uma série de testes é feita com a liberação do gás para verificar se não há nenhum vazamento e se todos os aparelhos estão recebendo o combustível corretamente.

Instalação facilitada e menor custo

Por exigir um espaço de até dois metros quadrados na região externa da padaria, a instalação do local de armazenamento dos tanques de gás GLP é considerada bem simples. Em comparação, quando a padaria utiliza apenas equipamentos elétricos, por exemplo, é necessária a construção de uma rede muito robusta para atender a demanda de energia, o que custa mais caro e exige mais intervenções e obras no ambiente.

Outra vantagem é que, além de ter uma instalação mais simples, o gás para padaria também tem menos problemas de manutenção. Afinal, equipamentos eletrônicos exigem revisão constante, principalmente em função dos problemas que apresentam na resistência elétrica.

O gás para padarias também tem suas vantagens econômicas sobre as outras opções que existem no mercado. Além de reduzir os gastos com a energia, que, normalmente, ficam em torno de 5% do faturamento da padaria, o gás GLP também pode sair mais barato que o gás encanado. Há casos de padarias em que, após trocar o gás encanado pela opção da Ultragaz, foi possível atingir uma economia de mais de até 45%.