O Brasil é um dos principais países consumidores de carne de todo o mundo. Segundo levantamento da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o país ocupa a sexta posição mundial no ranking de consumo, com 78 kg de carne ingeridos por ano por cada brasileiro. O investimento em uma churrasqueira pode ser uma boa opção para restaurantes que buscam aumentar a variedade de produtos oferecidos e garantir um aumento nos lucros. Mas qual o espaço na planta do restaurante que deve ser reservado para a churrasqueira?

A resposta para essa pergunta varia de acordo com o tipo de churrasqueira escolhida. Existem opções de churrasqueiras a gás e a carvão, mas a churrasqueira a gás leva várias vantagens. Quer entender mais sobre o tema? Veja os tópicos a seguir!

Espaço na planta do restaurante

Em um restaurante por quilo, é importante que o desenho da planta seja montado para criar um fluxo do cliente. As pessoas devem iniciar a montagem do seu prato nas saladas, antepastos e queijos e passar por toda a pista de alimentos quentes para, no fim, chegar à área onde deverá estar a churrasqueira. “As proteínas ficam sempre ao fim, e como o interessante é que a carne seja fatiada na hora para o cliente, a churrasqueira deve também ficar posicionada no fim da pista quente”, explica o arquiteto especialista em implantação de cozinhas industriais, Rodrigo Ferreira, da Blancook.

É importante que o dono de um restaurante, na hora de avaliar as opções de churrasqueiras para o seu negócio, tenha em mente o espaço disponível para o equipamento. Churrasqueiras a carvão, normalmente, iniciam suas medidas com 100 centímetros de largura. Além disso, elas costumam ser mais altas, com mais de 1,5 metro de altura, pois produzem mais fumaça. Já as churrasqueiras a gás podem ser encontradas em tamanhos menores, a partir de 70 centímetros de largura. Elas também estão disponíveis em opções mais baixas, com 1 metro de altura.

Calor e controle do ambiente

De acordo com Rodrigo, mais importante que o tamanho da churrasqueira é seu espaço na planta do restaurante. “Uma coisa que precisa de muita atenção é a distância que essa churrasqueira terá em relação ao balcão de atendimento, pois ela não pode atrapalhar o operador. Como uma churrasqueira emite calor constante, se ela for grande demais e ficar muito próxima do funcionário, pode resultar em problemas de saúde”.

Outra questão é a posição do equipamento na planta do restaurante e o confronto do calor irradiado com o ar condicionado. “É preciso posicionar a churrasqueira de tal forma que ela não vá competir com o ar condicionado, com tubos de exaustão próprios, para que o calor saia e não comprometa a temperatura ambiente. O planejamento desses tubos é muito mais simples com churrasqueiras a gás”, diz o arquiteto.

A vantagem está no tipo de emissão da churrasqueira a gás em comparação com a de carvão. Ao contrário da que usa gás de cozinha, a churrasqueira a carvão emite fuligem. É como se brasas voassem no duto de ventilação. Por questões de segurança, o sistema de ventilação de um churrasqueira a carvão não pode ser o mesmo que está ligado à cozinha do restaurante, pois esse inclui a gordura emitida através do ar. Quando fuligem e gordura se encontram, há risco de incêndio. A instalação de uma churrasqueira a carvão exige a construção de um duto de exaustão à parte. Isso é muito mais complicado!

Leia também:

Churrasqueira a gás: tão gostosa quanto a do carvão

Técnicas de preparo da carne na churrasqueira a gás

Armazenamento: churrasqueira a gás X carvão

Além do espaço planejado na planta do restaurante para os equipamentos, também será preciso reservar um local para armazenamento dos materiais combustíveis. Para a opção da churrasqueira a gás, um restaurante de médio porte, que atende entre 300 e 400 pessoas por dia, precisa apenas reservar um espaço de 1 metro quadrado para o tanque. Já o espaço para armazenamento do carvão pode variar bastante, pois depende de quantas vezes o carvão precisa ser reposto na churrasqueira.

“O maior problema do carvão é a sujeira. O local de armazenamento precisa ser afastado de alguns pontos da planta, como a entrada do restaurante, pois manusear o carvão é uma atividade complicada. Quando lidamos com comida, tudo precisa estar muito limpo”, diz Ferreira.

Vale ressaltar que não há diferença de sabor da carne na churrasqueira a carvão e na churrasqueira a gás. O tipo de energia não influencia o sabor da carne de churrasco. O mais importante, na realidade, é a capacidade da churrasqueira manter uma temperatura alta e constante, em torno de 350°C. Uma churrasqueira a gás como a BBQ Em Casa By Ultragaz para restaurantes é uma excelente opção. A linha conta com churrasqueiras de vários tamanhos, capazes de se adaptar à planta de qualquer restaurante. Além disso, o calor fornecido pelo gás GLP permite o rápido aquecimento da churrasqueira e mantém sua temperatura constante.  É isso que importa para um preparo ágil e de qualidade!