Diante das muitas vantagens que o Ecofarm traz para fazendas de leite – como redução de custo, mais sustentabilidade para a produção e maior rentabilidade – a pergunta que surge é: qual o investimento necessário e em quanto tempo ele passa a dar retorno financeiro? Porém, quando se trata de soluções de energia solar, o investimento e as projeções de retorno dependem de muitos fatores.

No caso do Ecofarm, estamos falando de uma solução de energia solar em fazendas de leite que é inovadora no conceito e na forma de ser comercializada. Especialmente porque todo o negócio é direto com a Ultragaz e ocorre por meio de um sistema baseado no gasto energético da fazenda. Assim, o produtor não precisa buscar linhas de crédito muitas vezes burocráticas, de juros altos e nem sempre acessíveis.

Para que você entenda como funciona o investimento e o quanto ele pode ser vantajoso para sua fazenda, preparamos este conteúdo explicativo. Veja a seguir!

Energia solar em fazendas de leite com modelo de negócio inovador

Além da tecnologia de ponta para captação e uso de energia solar em fazendas de leite, o Ecofarm utiliza uma forma própria de comercializar na qual o produtor não precisará gastar mais do que já gasta com sua conta de eletricidade.

Na prática, é como se o seu custo com energia, pago para a concessionária, passasse a ser investido na solução de energia solar. Mas isso apenas nos primeiros anos, pois esse valor será reduzido com o passar do tempo, até a quitação do contrato, quando se atinge todo potencial de economia, com uma drástica redução de custos.

Nesta forma inovadora, o valor a ser pago e o tempo total para o retorno sobre o investimento vai depender de cada fazenda e de sua demanda energética. Isso significa que a aquisição é muito mais acessível, porque considera o tamanho e os custos de cada fazenda, se adaptando à sua realidade, ao seu porte e às suas necessidades.

Leia também:
Energia elétrica em fazendas de leite: custos, desafios e soluções
Energia solar para fazenda de leite: o que é preciso para implementar?
Como a energia solar pode melhorar a rentabilidade da fazenda leiteira?

Cálculo sobre o histórico de 12 meses

Por exemplo, para se chegar ao valor que a fazenda irá pagar mensalmente nos primeiros anos, leva-se em conta a média de gastos com energia elétrica nos últimos 12 meses.

O valor resultante desse cálculo será o quanto a fazenda pagará mensalmente para a Ultragaz assim que o Ecofarm estiver instalado e funcionando.

Ou seja, assim que o sistema estiver suprindo a demanda energética que antes era fornecida pela concessionária local, o valor antes pago a ela passa a ser pago, por um determinado período, para a Ultragaz, como forma de amortizar o Ecofarm. Com o passar dos anos, esse valor poderá ser reduzido gradualmente até a quitação total do equipamento.

Vantagens desse modelo de negócio

São duas as principais vantagens desse formato de pagamento:

Previsibilidade de gastos – o proprietário da fazenda passa a ter uma previsibilidade de custos com energia elétrica, que serão reduzidos com o passar do tempo. Isso livra ele de aumentos constantes e flutuações na tarifa de energia das concessionárias. Além disso, é preciso também considerar o Decreto 9642, de 2018, cuja finalidade é acabar, gradativamente, com os descontos da tarifa de energia elétrica para propriedades rurais, com corte de 20% ao ano, zerando o benefício em 2023. Na prática, isso representa uma projeção de custos de energia ainda mais altos para produtores rurais. Por isso é tão importante contar com a previsibilidade dessa solução.

Custo que vira investimento – nesse modelo, o que antes era um custo permanente e com aumentos regulares se torna um investimento de longo prazo que, uma vez pago, passa a ser de propriedade da fazenda, gerando uma economia expressiva que se converte em mais rentabilidade.

guia de instalação ecofarm

Simulação de como é o investimento no Ecofarm

Para exemplificar esse modelo de negócio inovador e vantajoso, vamos fazer uma simulação fictícia. Será considerada uma fazenda cuja média dos últimos 12 meses com conta de energia elétrica tenha sido de R$ 2 mil.

Esse será o valor que, nos primeiros anos, será pago como amortização pelo investimento no Ecofarm. Ao longo dos anos, esse valor será reduzido gradualmente. Já o total de anos vai depender de cada caso, mas tende a ficar entre 10 e 15 anos.

Na prática, a simulação desse investimento ficaria assim nos primeiros 5 anos, lembrando que os percentuais de redução variam de acordo com o valor médio apurado:

Ano 1 – R$ 2 mil/mês (R$ 24 mil/ano) – 100% do valor médio de gastos dos 12 meses anteriores

Ano 2 – R$ 2 mil/mês (R$ 24 mil/ano) – 100% do valor médio de gastos dos 12 meses anteriores

Ano 3 – R$ 1,6 mil/mês (R$ 19,2 mil/ano) – 80% do valor médio de gastos dos 12 meses anteriores

Ano 4 – R$ 1,6 mil/mês (R$ 19,2 mil/ano) – 80% do valor médio de gastos dos 12 meses anteriores

Ano 5 – R$ 1,2 mil/mês (R$ 14,4 mil/ano) – 60% do valor médio de gastos dos 12 meses anteriores

Total gasto no investimento do Ecofarm: R$ 100,8 mil

Solução Ecofarm X aumento constante da tarifa

Para efeito de comparação, vamos considerar que esta mesma fazenda siga com seus custos de energia elétrica com a concessionária. Para que tenhamos uma base de cálculo para esta simulação, vamos considerar o histórico de aumento médio da tarifa de energia elétrica dos últimos 15 anos, que foi de 9% a.a., segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Neste caso, os custos dessa fazenda com energia ficariam assim nos 5 anos seguintes:

Ano 1 – R$ 2 mil/mês (R$ 24 mil/ano)

Ano 2 – R$ 2,1 mil/mês (R$ 26,1 mil/ano)

Ano 3 – R$ 2,3 mil/mês (R$ 28,5 mil/ano)

Ano 4 – R$ 2,6 mil/mês (R$ 31 mil/ano)

Ano 5 – R$ 2,8 mil/mês (R$ 33,8 mil/ano)

Total de gastos com energia: R$ 143,6 mil

Como mostram os números, a vantagem econômica do Ecofarm é expressiva, mesmo considerando apenas os 5 anos iniciais do contrato. Basta projetar esse comparativo para dez ou mais anos e é possível ter uma ideia do quanto a solução da Ultragaz pode impactar na redução de custos e, consequentemente, no aumento da rentabilidade de uma fazenda de leite.